4 dicas para usar o LinkedIn em seu plano de carreira





A geração baby boomer, nascida no pós-guerra, deve se lembrar: era comum procurar empregos na seção de classificados e imprimir vários currículos para deixar nas empresas.


1. Mantenha o seu perfil atualizado

Ao criar e alimentar o seu perfil nessa mídia social, dedique tempo para preencher todos os campos. A sua trajetória de formação e as suas experiências profissionais são alguns dos pontos que você deverá registrar. Seja detalhista e verdadeiro, não oculte nem exagere sua biografia.

Além disso, tenha em mente que você está vendendo uma imagem. Saiba exatamente o que você deseja mostrar e seja sóbrio, para não confundir o público com o privado. A honestidade também vale aqui, pois, mais que mostrar determinadas qualidades profissionais, é necessário cultivá-las no mundo real.

2. Siga os perfis que interessam à sua carreira

Falando em não confundir o público e o privado, cuidado ao gerir seu LinkedIn: ele não deve funcionar como outras mídias sociais. Não adicione tios e vizinhos só porque são próximos.

Em vez disso, adicione pessoas com quem você deseja ter contato em relação à sua carreira. Você pode dar um tom pessoal ao seu Twitter, Facebook ou Instagram, mas no LinkedIn é esperado que você tenha um comportamento profissional. Bom senso é sempre bem-vindo!

Siga também as empresas onde você deseja trabalhar ou que são relevantes no seu meio. Esse é o momento de você acompanhar como cada uma delas se posiciona. Saber ler seu nicho de mercado é fundamental.

3. Produza conteúdo e interaja com suas conexões

Outro ponto fundamental para que o LinkedIn cumpra um papel tático na sua carreira é fugir da inércia. Em vez de apenas receber conteúdos, você também deve comunicá-los. Isso vai auxiliá-lo a ser mais visto e reconhecido pelo seu campo profissional nessa rede social.

Existem duas principais formas de fazer isso: produzindo conteúdo próprio e fazendo uma curadoria. Nesse segundo caso, em vez de gerar informações, você seleciona o conhecimento da sua área que é mais relevante; afinal, a internet tem muita informação disponível, mas nem sempre de qualidade.

Esse esforço será útil para que você interaja com sua rede de contatos de forma mais orgânica e seja reconhecido como alguém que agrega valor à determinada área profissional — exatamente o que desejam os empregadores.

4. Apresente experiências para além do emprego formal

A última dica se refere à capacidade de você se apresentar para além das questões estritamente formais de emprego. Experiências como intercâmbios ou trabalho voluntário são bem-vindas, fazem parte de sua vida pessoal, mas falam sobre valores, interesses e afinidades pessoais.

Isso é importante porque as empresas têm procurado pessoas cuja conduta apresenta integridade e aderência em relação aos valores da organização. Portanto, saiba valorizar seu perfil.

Lembre-se: a ideia é inverter a lógica dos classificados do jornal, aquele de décadas atrás. Mais que procurar empresas dos sonhos, o ideal é que você seja o profissional dos sonhos das empresas que podem conhecer você pelo LinkedIn!


Fonte: https://blog.mackenzie.br/mercado-carreira/dicas-de-carreira/4-dicas-para-usar-o-linkedin-em-seu-plano-de-carreira/