As 15 habilidades que estarão em alta no mercado de trabalho até 2025, segundo o Fórum Econômico Mun


Os efeitos da pandemia no mercado de trabalho foram severos. A taxa de desemprego chegou a bater 14,6%, recorde da série histórica, e cerca de 14 milhões de pessoas seguem desempregadas, conforme os dados mais recentes da Pnad, a pesquisa de emprego do IBGE. E as perspectivas não são otimistas: a preocupação de economistas gira em torno da retomada do emprego em 2021.

Eles entendem que a taxa de desemprego deve subir nos próximos meses em função do fim do auxílio emergencial, do orçamento apertado das famílias devido à crise e do possível afrouxamento das restrições de circulação – que levará milhões de brasileiros, que hoje não integram as estatísticas de emprego, a procurar trabalho, pressionando a taxa para cima.

Com o cenário ainda incerto, Rebeca Toyama, especialista em estratégia de carreira, acredita que quem vai buscar emprego ou uma recolocação precisará ser resiliente e se requalificar. “Seja tecnicamente ou no desenvolvimento de soft skills [habilidades comportamentais], atualizar os conhecimentos para estar alinhado ao momento será crucial”, diz.

Especialistas em carreira destacam insights do relatório do Fórum Econômico Mundial sobre o futuro do trabalho e as competências mais demandadas nos próximos cinco anos – considerando a nova fase do mercado de trabalho, no mundo pós-pandemia, e a consolidação da tecnologia no espaço profissional. Confira a seguir.


Gap de habilidades


Tiago Salomão, sócio da consultoria de carreira Korn Ferry, afirma que apesar de o desemprego estar alto, faltam profissionais que se adequem às demandas exigidas. “Temos uma fila gigante de pessoas buscando emprego, e uma fila também enorme de empresas procurando profissionais. Mas não há um encontro entre essa oferta e demanda. As empresas não encontram quem precisam porque faltam profissionais com as habilidades chaves”, afirma.

O Fórum Econômico Mundial [FEM] publicou no fim de 2020 “O relatório do futuro do trabalho”, que destaca essa dificuldade, principalmente na área de tecnologia. “A capacidade das empresas globais de aproveitar o potencial de crescimento da nova adoção tecnológica é dificultada pela escassez de habilidades”.

Segundo o relatório, 55,4% das empresas entrevistadas afirmaram que encontram lacunas de competências nos profissionais em seus respectivos mercados e isso dificulta a adoção de novas tecnologias. O relatório entrevistou 291 empresas ao redor do mundo que, juntas, representam cerca de 7,7 milhões de funcionários.

“O isolamento social mudou o comportamento do consumidor. De casa, todo mundo queria entrega rápida, delivery, serviços digitais. Embora esse processo tenha começado antes da crise, foi acelerado pela pandemia, se consolidou e não tem volta. A digitalização foi generalizada: no varejo, no mercado financeiro, nos serviços. A tecnologia se destaca porque transita por todos os setores”, lembra Marco Santana, também sócio da Korn Ferry.

Porém, antes de buscar novas competências, Salomão diz que os profissionais precisam desenvolver a capacidade de aprender novas habilidades. “Com a velocidade com a qual o mercado está se transformando, esse é um passo crucial na jornada profissional. Além disso, hoje as soft skills e as hard skills [habilidade técnicas] estão no mesmo nível”, diz.

Na ausência de talentos prontos, os empregadores ouvidos pelo relatório do FEM relatam que, em média, fornecem cursos de requalificação e qualificação para 62% de sua força de trabalho. No entanto, o engajamento dos empregados nesses cursos não é alto: na média, apenas 42% dos funcionários efetivamente fazem os cursos oferecidos pelas suas empresas.

“Embora uma correspondência exata das habilidades não seja um pré-requisito para conquistar uma vaga de trabalho, a produtividade e o desenvolvimento em longo prazo dos funcionários no emprego são determinados pelo domínio das competências em suas respectivas áreas”, diz o relatório do FEM. Por isso, entender quais são as habilidades mais demandadas para os próximos anos pode ajudar a direcionar melhor a carreira.


Quais habilidades devo desenvolver?


Veja a seguir as 15 habilidades que vão estar em alta até 2025, segundo o relatório do FEM.

Habilidades em alta até 2025