As 7 habilidades profissionais mais exigidas no mercado de trabalho




Entre os maiores objetivos de grande parte das pessoas está o desenvolvimento profissional. Mas por que alguns conseguem chegar tão longe, enquanto outros permanecem no mesmo lugar, sem progredir na carreira? Será que a sorte é o fator-chave do sucesso? Ou existem histórias predestinadas?


O segredo de ser bem-sucedido na profissão não está no acaso, e sim nas estratégias de ação e nas possibilidades que cada um cria para si mesmo. Quando surgem pedras no caminho, nem todos estão preparados para removê-las e seguir adiante. Hoje as habilidades profissionais que dizem respeito às atitudes estão se destacando até mesmo com relação aos conhecimentos específicos.


E esse processo de superação e aprendizado precisa ser constante. Para saber quais são as habilidades cruciais do desenvolvimento profissional, continue a leitura deste post e inspire-se!



Quais as competências mais exigidas pelo mercado de trabalho?


Somente o domínio dos conhecimentos técnicos já não é o suficiente para subir alto na profissão. O mundo corporativo exige habilidades cada vez mais elaboradas para superar os desafios, pressões e dificuldades que surgem no ambiente organizacional. Portanto, certas competências emocionais e comportamentais são imprescindíveis nesse cenário. Veja a seguir quais são elas!


1.Comunicação

Você é responsável por aquilo que o outro entende ou somente pelo que você fala? Esse é um ponto que merece reflexão. Cada pessoa interpreta o que ouve de uma forma diferente, de acordo com seus próprios padrões de pensamento. Contudo, a capacidade de se comunicar com clareza pode evitar muitos mal-entendidos e melhorar significativamente as relações.


Comunicar-se de maneira eficiente significa saber expor suas ideias e pontos de vista. Mas isso deve ser feito com assertividade, argumentos bem construídos e respeito ao posicionamento alheio. Nesse ponto, entram também outras habilidades essenciais, como empatia, flexibilidade e inteligência emocional. Somente assim é possível desenvolver diálogos saudáveis e produtivos.


Um profissional com boa comunicação se destaca entre os demais. Com sua oratória e facilidade de se expressar, ele é capaz de assumir um posicionamento seguro em negociações, reuniões, apresentações e no momento de dar e receber feedbacks.



2.Ética

A ética e a honestidade andam de mãos dadas. São qualidades que vem de berço, que refletem as noções de conduta e os valores recebidos desde a infância. Ainda assim, é possível aprender a ser ético durante as experiências da vida adulta. O contexto profissional, então, é o cenário certo para aprimorar essa competência.


O dia a dia no ambiente de trabalho pode trazer diversas situações que testam o nível de integridade de cada um. Para não se deixar levar pela ocasião e assumir um comportamento antiético, é necessário ser firme e preservar os princípios morais e a postura profissional positiva.


Algumas características acompanham a ética e é possível avaliar esses traços tanto em pessoas quanto em organizações. Exemplos são: congruência; responsabilidade; equidade; respeito ao próximo; reconhecimento das próprias falhas; valorização do trabalho alheio e não favoritismo.


3.Empreendedorismo

Ser empreendedor é ter coragem de assumir riscos, é sair do lugar-comum e arriscar novos caminhos e ideias. O empreendedorismo é parceiro da criatividade e da inovação.


Determinação, proatividade, pensamento estratégico e espírito de liderança também estão atrelados à capacidade empreendedora.


O mercado de trabalho exige e necessita dessa competência. Pessoas que desenvolvem e praticam o empreendedorismo, em geral, têm as seguintes posturas:

  • atitude e iniciativa;

  • otimismo e motivação;

  • fogem do comodismo;

  • são analíticas e eficazes nas tomadas de decisão;

  • têm foco e visão objetiva;

  • são resilientes e sabem superar os altos e baixos da vida profissional.


4.Inovação

O que é inovação exatamente? Pensar diferente? Ter ideias revolucionárias? Ser altamente criativo? A resposta é: para inovar, é preciso tudo isso e mais um pouco! A teoria somente desenha o projeto, mas é o suor que faz a diferença. Resultados são gerados a partir da capacidade de construir, concretizar e transformar a imaginação em realidade.


As empresas buscam pessoas com essa habilidade audaciosa. Os profissionais inovadores são curiosos, receptivos, não têm medo de arriscar e errar e sabem trabalhar em equipe. Por isso, podem promover melhorias substanciais no ambiente de trabalho.


Contudo, até atingir certo nível de transformações, a inovação pode encontrar muitas barreiras. O principal desafio de quem tem essa característica é convencer os outros a aceitar algo novo. A maioria das pessoas não sente segurança e conforto diante de mudanças. Por isso, primeiramente, é o inovador quem deve acreditar em suas próprias ideias para, em seguida, transmitir confiança e colocá-las em prática.


Além das competências que detalhamos acima — comunicação, liderança, ética, empreendedorismo e inovação — que são bastante valorizadas pelo universo corporativo, há ainda outras habilidades essenciais para o desenvolvimento profissional. Veja um pouco mais!


5.Inteligência emocional

Tão importante quanto o potencial intelectual é a capacidade de gerir as próprias emoções. A pessoa que consegue administrar o fator emocional no dia a dia — em especial no ambiente de trabalho, que está sujeito a diversos conflitos — demonstra um alto nível de autocontrole e maturidade profissional.


Esse é o tipo de competência comportamental que não pode ser avaliada com segurança durante os processos seletivos. É no cotidiano, diante das diferentes situações de pressão e convívio, que a inteligência emocional é testada.


O estresse, as divergências de opinião e os conflitos diários podem facilmente gerar emoções negativas, como raiva, desânimo, inveja e sentimento de injustiça. Aquele que controla o que sente consegue neutralizar o que lhe faz mal e se guiar apenas por pensamentos construtivos e sensações positivas. E isso se converte a favor do crescimento na carreira.


6.Resiliência e flexibilidade

Imprevistos e dificuldades fazem parte da vida pessoal e profissional de qualquer pessoa. O que faz diferença é a forma de lidar com os problemas que surgem. Diante de situações bem semelhantes, cada pessoa pode reagir de maneira totalmente diferente. Enquanto alguns se deixam abater, outros conseguem se reestruturar e seguir em frente, ainda mais fortalecidos.


A resiliência é exatamente isso: a capacidade de enfrentar adversidades e adaptar-se às mudanças. É sair da área de conforto, superar obstáculos e reorganizar as estratégias de ação. Esse é um forte diferencial no contexto de trabalho. Aqueles que conseguem fazer dos problemas uma oportunidade de crescimento encontram com mais facilidade o caminho da ascensão profissional.


7. Habilidades interpessoais e trabalho em equipe

Mantemos relações interpessoais em todos os contextos em que vivemos. O contato com outras pessoas é inerente à nossa existência. No entanto, nem todas as pessoas sabem nutrir o bom convívio. Na verdade, habilidades interpessoais são um diferencial, um ponto de destaque no perfil pessoal e profissional.


Lidar com pessoas o tempo todo parece fácil, até automático, mas exige uma boa dose de paciência e dedicação. No ambiente de trabalho, essa é uma missão ainda mais complexa, porque existem os conflitos interpessoais, mas nem sempre há vínculos com apego e empatia.


Então, para se relacionar bem com todos e saber trabalhar em equipe é importante:

  • ser colaborativo;

  • exercitar a comunicação eficiente;

  • ter escuta ativa para os colegas, líderes e liderados;

  • respeitar os outros;

  • ser educado;

  • demonstrar gratidão;

  • trabalhar a tolerância;

  • reconhecer o empenho alheio;

  • manter-se aberto para novas ideias;

  • compartilhar conhecimentos.


Essas habilidades enfatizam as novas dinâmicas não só de contratação como de sucesso profissional. No lugar de resultados quantitativos orientados apenas por números, agora o mercado também se direciona por resultados qualitativos. Aos poucos, aumenta-se a necessidade de valores pessoais e profissionais.


Ou seja, não é possível mais crescer a qualquer custo. De nada adianta trazer resultados financeiros desalinhados à propósitos e cultura organizacional.


As habilidades a nível tático até podem ser vistas como um possível ponto de desenvolvimento, mas as atitudes ainda são vistas como intrínsecas aos seres humanos.

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Descrição No escopo de trabalho deste profissional encontra-se: Controle de estoque, produção e vendas - conferência da disponibilidade de produtos para cumprimento de prazos comerciais; Atuação no ba

Descrição - Construirá os modelos de longo prazo do grupo para o Planejamento Estratégico. - Construirá os planos estratégicos dos negócios - Estruturará PMOs de implementação dos projetos - Estrutura

Para a região de Barueri - Centro comercial de Alphaville Irá trabalhar em uma Agência de empregos (Grupo SRM), 100% presencial • Fará a administração de carteira de clientes; • Realização de Processo