Defeitos: Como mencioná-los em uma entrevista de emprego?



Para muitas pessoas que participam de processos de seleção das empresas, tratar dos defeitos para entrevista de emprego é um momento crítico e que as deixa inquietas e preocupadas. Afinal, cada vez mais, os recrutadores vão além dos aspectos acadêmicos e profissionais no currículo e querem saber como é o perfil psicossocial do candidato.


Ou seja, eles se interessam em saber como é o comportamento, o estado emocional, a postura diante de problemas e adversidades e a capacidade de socialização e integração dele. Isso porque todas essas características influenciam (e muito) no desempenho no trabalho, na relação com colegas e superiores e, principalmente, no potencial de crescimento do indivíduo dentro da empresa.


Porém, você provavelmente está se perguntando como falar ou responder a respeito deles, sem deixar uma má impressão no recrutador? Confira algumas dicas sobre como abordar esses defeitos de forma sucinta, descomplicada e que evidenciam um processo de evolução pessoal.


Não minta sobre os defeitos que você tem


O recrutador do RH, ou mesmo o chefe do setor no qual você tem interesse de trabalhar, questionaram sobre quais são os seus defeitos e o que você pode comentar acerca deles? Pois aqui vai a primeira sugestão: não minta sobre a intensidade e quantidade deles, muito menos afirme que você está livre de defeitos.


Falar a verdade é sempre a melhor saída. Primeiramente, porque mostra que você está sendo honesto e tem maturidade para reconhecer tanto os pontos positivos quanto os negativos que tem — duas qualidades que são muito bem-vistas no meio pessoal e profissional.


Em segundo lugar, porque você não tenta enganar os entrevistadores com um discurso de perfeição. Basta lembrar-se de que os recrutadores, muitas vezes, já estão cansados de ouvir essa mesma conversa nas seleções e sabem que isso é uma tentativa de vender uma imagem positiva apenas para impressioná-los.


Evite focar a entrevista nos seus defeitos


A segunda dica é evitar focar a entrevista nos seus defeitos e ignorar todo o resto (as suas qualidades, a sua trajetória profissional, a sua experiência na faculdade, o rumo que você quer dar à sua carreira, o porquê deseja trabalhar naquela companhia etc.).


Ou seja, após ser questionado a respeito, responda e argumente o que for necessário sobre o tema, mas saiba finalizá-lo e partir para outro assunto. Do contrário, os defeitos vão monopolizar a conversa, e você vai, mesmo sem ser a sua intenção, ser resumido a eles.


Use os seu defeitos para falar sobre o seu crescimento e aprendizado


Não é porque você vai falar sobre os seus defeitos que é preciso mencioná-los de uma forma negativa tanto para si quanto para as pessoas que estão ao seu redor. É fundamental saber abordá-los para mostrar que você está em constante aprendizado e que eles servem para você crescer e se aperfeiçoar cada dia mais.


Por exemplo, se você vai falar que um dos seus defeitos é a dificuldade em lidar com críticas, diga que, durante uma época, esse era um problema com o qual lidava e que levava a tentar ser o melhor em tudo para nunca ser criticado.


Porém, com o tempo, você entendeu que críticas nem sempre são, obrigatoriamente, ruins. Ao contrário, muitas são construtivas e nos ajudam a identificar coisas que estão erradas — e que, em muitos casos, você não se dá conta —, mas que podem ser ajustadas e melhoradas.


Resumindo: nem sempre é fácil ouvir esse feedback, mas você deve tentar sempre encará-lo como uma oportunidade para fazer uma autoavaliação e evoluir como ser humano e, consequentemente, profissional.

Consegue perceber a diferença de tratar o assunto dessa forma em vez de simplesmente dizer que não aceita críticas e pronto? A contextualização junto com uma explicação bem-elaborada na sua resposta faz toda a diferença.

189 visualizações0 comentário