O que colocar no perfil profissional do currículo?



O currículo é o primeiro contato entre a empresa e o candidato. É a partir das informações contidas nele que um futuro empregador embasa as primeiras impressões sobre o profissional.


O perfil profissional é a apresentação do candidato. É também o resumo de suas qualificações, habilidades, competências e experiências anteriores.


Assim, elaborar um texto de apresentação pessoal pode parecer simples, já que não há pessoa que nos conheça melhor que nós mesmos. Porém, facilmente podemos cair na armadilha dos clichês e passar uma imagem de pouca criatividade ou desinteressante.


O objetivo é uma das partes mais importantes de qualquer currículo. E, por isso, você deve tirar um tempinho para focar nele de forma estratégica e ganhar de vez a atenção do seu recrutador.


O que é um perfil profissional?


Na hora de preencher um currículo, o perfil profissional é um dos campos que mais costumam provocar dúvidas. Afinal de contas, o que é preciso colocar nesse espaço? A verdade é que se trata de uma das partes mais importantes do documento, já que tem como objetivo deixar explícitas — e de forma resumida — as principais habilidades, competências, realizações e pontos fortes do candidato.


Em outras palavras, o texto deve mostrar aos recrutadores por que você é o candidato ideal para aquela vaga, apresentando motivos pertinentes para consolidar a contratação. Para tanto, os dados descritos devem ser bem distribuídos e mostrar seus principais destaques como profissional.


Em um bom perfil profissional, é importante que você consiga destacar os benefícios que trouxe às organizações por onde já passou — em termos de melhoria de processos, redução de custos, aumento no faturamento etc —, ou seja, tudo o que agregou de valor à empresa.


No entanto, caso você ainda não tenha nenhuma experiência para ressaltar em seu currículo, não se preocupe. Nesse caso, ao descrever o seu perfil profissional, mantenha o foco nos cursos que você já fez (inclusive os extracurriculares ou profissionalizantes), destaque os conhecimentos que têm em outras línguas e/ou ferramentas e saiba valorizar as suas habilidades pessoais.


Como descrever o perfil profissional?


Antes de tudo, entenda que um perfil profissional bem redigido e que cumpre com o seu propósito, independentemente da estrutura escolhida, deve conter as seguintes informações:

  • seu grau de conhecimento atual: “pós-graduado em Marketing Digital”, “expertise em gestão de pessoas” etc;

  • qualidades em atividades específicas: “experiência em coordenação e gestão de projetos”, “visão sistêmica com foco na análise e mensuração de resultados”;

  • conquistas anteriores: “construção da presença digital de três empresas com perfis diferentes, aumentando o nível de autoridade e melhorando o relacionamento com os clientes nas plataformas online”;

  • competências e habilidades: “fluência em inglês comprovada pelo exame de proficiência TOEFL”, “conhecimentos avançados no pacote Adobe”;

  • disponibilidade de horário: “disponibilidade para trabalhar nos períodos da manhã e da tarde”, “disponibilidade para viagens a trabalho e transferências”.


Aqui, tenha em mente que o importante não é o tamanho, mas, sim, a qualidade do conteúdo, certo?


Não adianta escrever textos longos e que relatam toda a sua trajetória em detalhes quando o objetivo do perfil profissional é justamente ser uma leitura rápida — afinal, já parou para pensar em quantos currículos passam pela mão de um recrutador todos os dias?


Para ajudar você nessa construção, listamos a seguir 4 dicas fundamentais para organizar todas as informações necessárias no momento de descrever o seu perfil profissional.


Confira:


1. Faça uma lista com os tópicos mais importantes


Antes de começar a redigir uma descrição do seu perfil profissional, tente se imaginar no lugar do seu recrutador e pense sobre quais dados chamariam a sua atenção em um candidato. Em seguida, procure enumerar essas informações para facilitar a sua organização de ideias.


Você pode utilizar tópicos como:

  • formação acadêmica;

  • principais experiências na sua área de atuação;

  • conquistas, promoções e reconhecimentos obtidos ao longo da carreira;

  • competências mais relevantes para a realização do seu trabalho;

  • objetivos pessoais e profissionais.

Com esses pontos em mãos, fica mais fácil ter uma visão geral das informações que poderão ajudá-lo a destacar o seu perfil profissional frente aos concorrentes e escrever um texto que seja mais completo e, ao mesmo tempo, mais efetivo.


Escolher bem quais serão as palavras utilizadas aqui é fundamental. Você deve deixar claro o seu nível de conhecimento — sobre processos internos ou um segundo idioma, por exemplo — para que o recrutador tenha uma visão mais completa sobre o seu perfil.


2. Seja objetivo


Depois que você fez a sua lista de tópicos com os dados mais relevantes para a descrição do seu perfil profissional, finalmente chegou a hora de construir o seu texto.


Aqui, é muito importante exercitar o seu potencial de síntese para conseguir redigir as suas informações da forma mais direta e sucinta possível, com frases objetivas e parágrafos curtos, mas que sejam capazes de despertar o interesse de quem lerá a sua descrição.


Lembre-se de que os seus dados profissionais estarão mais detalhados em seu currículo, por isso, neste momento não há necessidade de descrever todas as informações relativas à sua carreira de forma tão minuciosa. Procure focar nas experiências que o destacaram como profissional e nas habilidades que realmente farão a diferença para a vaga à qual você está se candidatando.



3. Procure usar vocabulários relativos à sua profissão


Conhecer os termos mais utilizados na sua área de atuação não só mostra que você tem bons conhecimentos dentro da sua profissão, mas também ajuda a dar mais visibilidade ao seu perfil em redes sociais profissionais, sites de emprego ou bancos de currículos de empresas e consultorias de recursos humanos responsáveis pelo recrutamento e seleção de novos candidatos.


Como o cadastro online de currículos se tornou bastante comum, o uso de palavras-chave, inclusive no perfil profissional, é muito importante, assim como a linguagem técnica referente a sua área de atuação.


Saber utilizar essas palavras-chave de forma estratégica aumenta as suas chances de ter o seu currículo mais facilmente encontrado pelos recrutadores. Por esse motivo, pesquise e mantenha-se sempre atualizado sobre os vocabulários mais utilizados e certifique-se de que a linguagem que você utilizou está de acordo com a sua área de atuação e com o seu objetivo de carreira.


4. Fuja dos clichês


Evite utilizar frases muito óbvias ou genéricas como “sou comunicativo”, “sou proativo” ou “tenho facilidade para trabalhar em equipe”. Além de serem constantemente repetidas por outros candidatos, elas não demonstram nenhum diferencial para o seu perfil e ainda podem causar um efeito contrário, afastando os recrutadores.


Nessas horas, vale a pena gastar um tempo a mais para pensar em uma descrição caprichada que indique verdadeiramente os seus objetivos de carreira e descreva suas habilidades com originalidade e de forma genuína.


É importante lembrar também que termos muito coloquiais ou gírias devem ficar de fora da sua descrição, certo?


Quais erros devem ser evitados?


Fazer conteúdos excessivos


É sempre por meio da descrição objetiva de suas realizações mais importantes que o profissional revela os seus verdadeiros diferenciais e consegue criar um perfil profissional acertado. Como já mencionamos, fuja de textos complexos e que dão voltas e voltas.


Lembre-se de que esse espaço deve ser justamente um resumo da sua carreira, com aquelas informações mais relevantes selecionadas justamente para chamar a atenção dos recrutadores, e não dificultar o trabalho deles. Por meio de um bom perfil profissional, quem estiver fazendo a triagem dos currículos já conseguirá identificar se você apresenta ou não o perfil que a empresa procura, sendo assim, nada de conteúdos excessivos.


Fugir do foco


Um erro bastante comum entre aqueles que estão desempregados e/ou há bastante tempo fora do mercado é fugir do foco no momento de redigir o perfil profissional e até mesmo o currículo. Evite, por exemplo, colocar que você estaria disponível para trabalhar em qualquer setor da empresa — o que pode acabar contando alguns pontos negativos com os recrutadores.


Isso porque, em um primeiro momento, pode até parecer que você é um profissional proativo e que está bastante disposto a trabalhar. No entanto, o avaliador pode acabar o enxergando como um candidato que não sabe ao certo o que pretende como profissional e, portanto, pode acabar não durando dentro da empresa.


Criar informações falsas


Inserir informações que não são verdadeiras em seu perfil profissional é algo que definitivamente não vale a pena. Mesmo que o seu objetivo seja chamar a atenção dos recrutadores, de nada adiantará escrever algo que não é verdade.


Lembre-se de que esses dados podem ser previamente consultados ou facilmente testados durante um processo seletivo, por exemplo. Nesse caso, você não só perderia a vaga, como também prejudicaria a sua imagem como profissional.





139 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo